segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

conectar-se com o seu companheiro animal

 
Hoje é dia dos namorados. Poderia e deveria ser também dia dos amigos. Penso que um namorado, acima de tudo, tem que ser um amigo. Por outro lado como podemos falar em namorados sem estarmos primeiro que tudo enamorados por nós mesmos, e enamorados pela Vida? Condição essencial para um enamoramento verdadeiro, é o conhecimento...o conhecimento sobre nós e o outro quando falamos no conceito comum de namorados humanos, o conhecimento sobre nós mesmos quando falamos da nossa essência e da vida...
E os nossos companheiros animais?
Neste dia dos namorados venho propor algo diferente...vamos conhecer um pouco melhor a nossa essência e a dos nossos companheiros animais?

A maioria dos povos indígenas de todas as partes do Mundo sempre mantiveram uma comunicação activa com as outras espécies com as quais partilham o seu habitat e as suas vidas. Esta conexão dá-se quase sempre através de um Xamã, que é o guardião de todas as tradições e de todo o conhecimento espiritual das tribos. A conexão com a Natureza é parte integrante do seu dia a dia, e os índios americanos são conhecidos pela sua forte ligação e comunicação com a natureza. As suas tradições remontam aos primórdios da humanidade e carregam um simbolismo e magia únicos!

Para o Reino Animal o Ser Humano é muito denso, pelo que para conseguirmos uma frequência de comunicação temos, primeiro que tudo, de limpar o caminho começando por nós mesmos. Na base da formação, aprendizagem e prática de um  Comunicador Inter-Espécies encontra-se o despertar dessa outra forma de sentir, o desbloqueio de todas essas áreas de nós mesmos que se encontram adormecidas, de forma a conseguirmos estabelecer uma comunicação clara e consciente, fortemente intuitiva mas direccionada para questões do foro prático e que ajudam quer o animal quer o seu companheiro humano a resolverem problemas e a serem mais felizes. 
Uma bonita forma de começar a  estabelecer esta conexão é ter o hábito de meditar junto do nosso companheiro animal e  focar nele a nossa atenção, observando, respirando com ele...até sermos um com ele. Desta forma iremos abrindo cada vez mais o canal de comunicação, que nada mais é que sentir e ser um com tudo o que nos rodeia.

Os que já estão habituados a meditar frequentemente, irão reconhecer um estado alterado no próprio estado de meditação, pois irão instantaneamente aperceber-se que estão em segundo plano. Já não serão os protagonistas principais mas mesmo assim irão sentir-se profundamente presentes, muito mais que quando fazem a meditação sós.

Não julguem ou interpretem o que quer que sintam ou percepcionem. Não se trata de pensar no animal mas sim de estar aberto a perceber, a ser consciente da sua presença. A fundir-se com ele...a ser ele.
Respira. Ouve. Percebe. Conecta-te com a Terra Mãe, sê consciente primeiro da tua respiração, depois do teu campo energético e pouco a pouco expande esse grau de consciência...harmoniza a tua respiração com a da Mãe Terra, com a do animal...expande o teu campo energético até se fundir com a Mãe, abarcando todos os seres vivos...todos os animais...e o teu companheiro animal em especial...Respira. Escuta. Recebe.Demora o tempo que for necessário até deixares de ser e seres tudo...

Se o animal estiver já acostumado á ressonância energética é possível que a um dado instante ele se levante e saia, a sua sensibilidade extrema levá-lo-á a afastar-se um pouco. O facto de o fazer não quebra em nada o elo que se está a formar, por isso devemos continuar como se ele estivesse ali. Ele regressará. Se calhar não nessa sessão de meditação, mas com a prática ele também começará a aperceber-se que estamos a aprender a escutá-lo...eles já não estão habituados a que os oiçamos, pelo que em algumas situações é um processo de aprendizagem mutuo. Respeite. O Respeito é a base de qualquer relação de amizade. E é um dos grandes erros que se cometem com os animais, a falta de respeito pela sua essência, pelo seu espaço, pelas suas necessidades.

Os animais não vivem através de imagens mentais como nós, logo ao praticarmos esta conexão devemos ter em mente que temos que desenvolver a nossa sensibilidade a tornarmos-nos unos com o todo, a unificar-mos-nos com a totalidade, fundirmos-nos com a Mãe Terra. Através de nós os animais ganham consciência de si mesmos enquanto indivíduos e através deles nós despertamos uma nova forma de sentirmos e de sermos unos. Uma das missões dos animais que se encontram há milhares de  anos junto dos seres humanos  é ajudarem-nos a recordar a nossa conexão com todos os Reinos do Planeta Terra. Eles são excelentes professores!

Caso não tenha nenhum companheiro animal em sua casa, mas sinta a vontade e o chamado  para se conectar, pode começar a praticar visualizando o primeiro animal que lhe ocorrer á mente. Ou um animal que conheça por estar com alguém que lhe é chegado, ou um animal com o qual sempre tenha sentido uma grande afinidade. Por exemplo, eu nunca tive grande contacto com cavalos, contudo desde que me recordo de mim que os desenho (a minha mãe tem desenhos feitos por mim com 2 anos de idade!), sempre senti uma grande conexão com eles que me levou a procurar toda a informação que pude. Mesmo continuando sem ter grande contacto físico, ao nível espiritual há uma forte conexão e é-me extremamente fácil encontrar-me em meditação com o Espírito Grupal dos Cavalos, bem como fundir-me com um.
Não deixe que o facto de ainda não ter um professor fisicamente ao seu lado o impeça de buscar o conhecimento.
Caso já conheça o seu animal de poder, poderá recorrer a ele para que o ajude nesta jornada. Todos os animais têm uma mensagem para nós. Aproveite, entregue-se e desfrute desta maravilhosa experiência...uma viagem ás nossas raízes e uma redescoberta de nós mesmos.

Chegada a  altura de regressar, agradeça e despeça-se amorosamente da Mãe Terra, do Espírito Grupal e do animal com os quais partilhou este momento. 

(Deixem um caderno e uma caneta perto para poderem registar as mensagens, sensações, sentimentos, imagens, informações recebidas durante a meditação.)




Pratiquem muito, mas tenham sempre presente que seja o que for que fizermos no campo espiritual, tem que vir de dentro para fora e não o contrário :) A base de tudo reside no nosso coração.

Namasté!

12 comentários:

Filomena Nunes disse...

Namasté querida Cristina.

Passei aqui no seu blog no seguimento do convite do Marcelo Dalla para participar na bonita iniciativa das meditações..

Gostei muito deste texto sobre os "animais de poder". Fiquei a saber o suficiente para me impedir de fazer a pergunta que estava na minha mente fazer quando comecei a le-lo: perguntar-lhe como poderia saber qual o meu "animal de poder"..

Mas, à medida que fui lendo, percebi que a resposta está dentro de nós..

Vou ficar mais atenta a este assunto.

Um abraço e muita alegria na sua vida.

Filomena

António Rosa disse...

Gostei MUITO!!!! Beijos.

Siala disse...

Olá Filomena! Bem vinda ao meu Mundo :) A questão do animal de Poder é talvez aquela que mais vezes me colocam...e será o tema da meditação que levarei para o espaço do Marcelo, por isso fique atenta :)
Namasté!

Siala disse...

António, OBRIGADA :) Sabes bem o quão importante é para mim a tua opinião! Beijinhos!
Namasté!

Filomena Nunes disse...

Ficarei atenta sim!!

E aproveito para lhe comunicar que vou seguir este seu blog e vou partilhar este texto na minha pág do fb.

Obrigada :))

Filomena

MARCELO DALLA disse...

Querida!!! Tb fiquei encantado!!!
Gostei de saber q aceita meu convite e, por exemplo, o texto que deixou aqui sobre meditações com animais me pareceu excelente para o projeto.

Mas fique à vontade para participar como queira, tenho certeza q sua contribuição será maravilhosa.
Pode enviar seu texto pra marcelodalla@hotmail.com

Não tem pressa, vamos deixar fluir...
bjosssssssss
e agradeço desde já!

Siala disse...

Oi Marcelo, e eu fiquei emocionada com o convite :) Vou aproveitar o seu convite para partilhar uma meditação do Animal de Poder muito especial. Foi a minha primeira meditação e além de muito bonita é muito poderosa também, fortalecendo a ligação á Mãe-Terra. Como há muitas pessoas interessadas em conhecerem o seu animal de poder, penso que será uma excelente partilha!
Namasté!

arKana disse...

alô!
ora aqui está uma metodologia que desconhecia. já li e reli, muito interessante!

no xamanismo, regra geral, o uso do tambor é a forma de entrar nesse estado receptivo, mas tal como dizes, não é de fora para dentro, mas sim através da ligação do nosso coração com a batida do tambor.

da minha experiência com outras pessoas, a batida ritmada do tambor ajuda a entrar em estado alterado de consciência e aceder a informação e fazer essa conexão que falas, mesmo para aqueles que não têm prática diária, nem costume de meditar.

Mas é óbvio que é com a continuação da prática ajuda a desenvolver a conexão e destrinçar aquilo que é produzido mentalmente, daquilo que é sentido com o coração!

Enfim nuances e técnicas variadas para chegar ao mesmo lugar... o conhecimento de nós mesmos!

Beijos e Namasté!

Astrid Annabelle disse...

Estive lendo muitos dos seus posts...todos ótimos.
Este está maravilhoso...adorei!
Beijo grande Siala.
Astrid Annabelle

Siala disse...

arKana ;) vamos ter muito para falar as duas!! Eu entro em estado alterado de consciência mal os tambores começam :) infelizmente não tive ainda oportunidade de explorar esse caminho :) Estará para breve, com o teu projecto!
Estás correcta minha amiga :) trata-se de abrir um canal de comunicação telepático, que é natural em todos os seres vivos, mas que nós esquecemos. Embora por vezes não seja necessário muito para o reactivar, a verdade é que muitas pessoas necessitam da prática quase diária para conseguirem aceder a si mesmas. Porque primeiro que tudo temos que aceder a nós e então abrir e expandir...
Eu sou muito emocional, no sentido em que capto as emoções e sensações e por vezes não consigo verbalizá-las...mas é mais ou menos isto que escrevi :)
Beijinhos!!
Namasté!

Siala disse...

Astrid, grata minha amiga! Estou a passar uma verdadeira revolução criativa e de acção e impulso! Mas ando meio desfasada do factor tempo rssss
Beijo
Namasté

Hanah disse...

Namastê Siala,

Adorei, ando sentindo uma grande necessidade de trabalhar com os animais... e assim começar comigo mesma...
vou aguardar para entrar em sintonia quando da Meditação

Muito legal...

Bom começo de semana para ti

Hanah / Raquel